Quem o ministro da Justiça quer esconder?

DantasCardozo
quem Cardoso esconde?

 

Deu no Globo:

BRASÍLIA — A Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF) divulgou nesta terça-feira nota de apoio aos delegados Luís Flávio Zampronha de Oliveira, que investigou o mensalão, e Matheus Mela Rodrigues, responsável pela Operação Monte Carlo, que foram proibidos de dar entrevistas sem a autorização prévia do departamento de Comunicação Social da Polícia Federal (PF). Segundo a associação, os delegados estão sendo “vítimas de procedimentos disciplinares com base em normas inconstitucionais que negam o direito de manifestação e à informação”. A entidade já entrou com ação no Supremo Tribunal Federal (STF) contra a Instrução Normativa 13/2008 da Polícia Federal, que instituiu a proibição.

Saindo do Foco:

Por Murilo Silva

A revista Época teve acesso em 2011 ao inquérito mineiro do Mensalão. O relatório comandado pelo delegado Zampronha montra um protagonista até agora escondido.

O relatório de Zampronha mostra como Daniel Dantas fazia nomeações na ANATEL – agência reguladora que deveria vigiar Dantas, na época, gestor da Brasil Telecom.

O relatório de Zampronha mostra correspondência eletrônica entre o lobista Roberto Amaral – sob soldo de Dantas – e os chefes de ordem do Presidente Fernando Henrique.

O relatório de Zampronha mostra correspondência eletrônica entre o lobista Roberto Amaral e o motorista do então ministro José Serra, que também responde pela alcunha de “Niger”.

Amaral pediu ao motorista do Serra a cabeça de um dirigente da Previ – maior fundo de pensão da América Latina – e foi prontamente atendido por este que deve ser o mais influente motorista do mundo.

O relatório de Zampronha faz uma verdadeira arquivologia política do grupo Opportunity – principal alvo da investigação.

Estabelece um vínculo central entre os dois governos do chamado Brasil Moderno – um vinculo comum aos “mensalões”.

Entre 1999 e 2002 – governo FHC-  a Telemig, empresa controlada por Dantas, pagou 77 milhões de reais as agências de Valério.

Entre 2003 e 2005 – governo Lula – a cifra foi de 87 milhões.

O relatório de Zampronha dedica 36 páginas ao D.D., 10% do texto.

A Carta Capital teve acesso ao inquérito e o disponibilizou na integra em seu site.

Em tempo: Como se sabe, os amigos de Daniel Dantas chamam o ministro José Eduardo Cardoso, da Justiça, de Zé. O ministro já gastou vastamente seu latim para negar suas relações com o banqueiro. Contudo, Zé Eduardo se notabilizou na imprensa italiana pela via-sacra que fez por lá para defender os interesses do banqueiro carioca em sua disputa com a Telecom Itália. Zé também já engrossou as fileiras de advogados do controvertido banqueiro.

Deixa o Zampronha falar, Zé!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *