Eureka! Haddad enfrenta a ditadura do carro

Deu na Folha:

Não aumentar a tarifa de ônibus em São Paulo neste ano –ou até reduzir o preço da passagem– é possível, nos cálculos da prefeitura. Para isso, o prefeito Fernando Haddad (PT) está propondo aumentar a gasolina e usar os recursos no subsídio da tarifa do transporte.

Haddad calcula que, para cada R$ 0,10 de aumento no preço da gasolina, a passagem de ônibus cairia R$ 0,15.

A proposta é a volta da Cide (Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico), que seria vinculada ao subsídio ao transporte público.

A Cide seria cobrada apenas nas regiões metropolitanas e seria usada apenas no subsídio ao transporte nesses locais: o dono de carro de São Paulo subsidiaria o transporte público de sua cidade. É o que Haddad chama de “subsídio direto cruzado”.

Saindo do Foco:

Por Murilo Silva

1 – Uma política real pró-transporte público se baseia necessariamente por uma opção pelo transporte público frente ao carro – frente ao transporte privado.

2 – O uso inteligente dos tributos é um dos principais ou principal dispositivo de ação dos governos democráticos modernos. Se Haddad tiver a firmeza de propósito necessária para implantar essa política, isso o incluirá entre os grandes lideres metropolitanos do mundo.

0 thoughts on “Eureka! Haddad enfrenta a ditadura do carro”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *